top of page

Poesia originária, por Karina Tajyputir Tupinambá



mulher indígena na cidade



De ancestralidade Tupi

Colonizaram teu chão

Teu corpo

E tua mente sã

Te afastaram do teu Ser

Mani'ok não!

Hoje broto do asfalto

Das pedras

Do não!

Tajy, ipê

Putir, flor

Identidade não apagada

Ancestralidade, reconhecida

Mulheres da floresta

Esperança de vida!


Karina Tajyputir Tupinambá

Escrito em 01.03.2024




grafismo indígena

Conheça a autora dessa poesia originária:


“Sou Karina Tajyputir Tupinambá, nome civil Karina Borges C., nascida em Belém do Pará, terra  ancestralmente Tupinambá. Minha ancestralidade vem da costa litoral paraense Curuçá, habitada pelos Andiras, clã Tupinambá, Curuá, que em tupi significa furo ou bacia, uçá, que se refere ao ucides cordatus cordatus, o caranguejo, bacia de caranguejos, e Bragança, habitada também por Tupinambás, mata verde.


Meus avós de modo geral eram pescadores, exímios agricultores, que traziam em sua cultura alimentar as raízes ancestrais e milenares de nossas terras com base na raiz que é centro do nosso pensamento, a mandioca, consumida até a atualidade sob diversas formas, a exemplo da farinha.


Temos neste bojo alimentar e resistente peixes, crustáceos, que até hoje alimenta nossos corposterritórios. Isso mesmo, fomos transformados em vilas na era pombalina, contudo seguimos firmes reificadas em nossa ancestralidade litorânea, somos originários desta terra!  Sou pesquisadora, historiadora, professora. Presto assessoria em assuntos indígenas às populações indígenas, contribuo com projetos sociais na Amazônia, possuo artigos publicados que versam sobre temática indígena. Tenho experiência com educação escolar indígena”.



Indique o nosso site e ajude a nossa voz chegar a mais pessoas. Fortaleça a Literatura Indígena.

2 Comments


Guest
May 23

Somos auto historiadoris, antopologus e arqueólogus.

Like

Guest
May 23

Somos tudo de nós mesmus.

Like
bottom of page